A streamer Flávia Naoshii relata descaso no mundo do e-Sports ao comentar sobre a diferença de salários entre um caster homem e uma caster mulher!!

A Streamer e Caster, Flávia Naoshii que há mais de um ano trabalha como analista, comentarista e apresentadora no cenário de Valorant, relata o machismo escancarado dentro dos Esports ao descobrir que iria receber 15 vezes a menos comparado com o salário de um caster homem do cenário.

Se já não bastasse o machismo e assédio que as mulheres sofrem diariamente entre uma partida e outra de qualquer game que seja, na qual o foco seria a diversão, reportam para as empresas desenvolvedoras esses casos e muitos ficam sem solução e o autor que muitas vezes se esconde por trás de um “nickname” onde não é punido, agora nos deparamos com segregação de salários dentro do cenário de Esports, onde seu gênero determina quanto você ganha e não o seu trabalho e talento. Acompanhem o que a streamer fala sobre o assunto:

Contrato abusivo? Trabalho escravo? No relato feito pela streamer ela comenta que a diferença do salário de uma mulher é de quase 15 vezes o valor a menos que o salário de uma pessoa do sexo masculino. Parece piada, mas não é! Um exemplo: Digamos que um camp do cenário de Valorant estaria oferecendo R$15,00 por hora para casters do sexo masculino e R$1,00 (UM REAL) a hora para casters do sexo feminino. Os profissionais desempenhariam as mesmas funções, mais ao que parece ser de determinado sexo é o que seria levado em consideração na hora da remuneração.

Muitas pessoas que acompanham o trabalho da Flávia e até profissionais do cenário se manifestaram solidários a mesma nas redes sociais e levantaram um verdadeiro mutirão para que a profissional seja notada e contratada por um time que dê valor ao profissional pelo seu trabalho e talento.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar