Cristiano Ronaldo é novidade para o Free Fire

Free Fire no Brasil é em questão de popularidade é estrondoso no mundo dos games. Estrondoso no quesito democratização dos esportes eletrônicos no país, o Battle Royale da Garena trouxe para os fãs nesta semana uma novidade impressionante e também para quem ainda não foi impactado pelo jogo, a adição de ninguém menos que Cristiano Ronaldo como personagem jogável dentro do battle royale. O craque da seleção é parte da mais nova Operação Chrono, adição que promete ser revolucionária para a sequência tanto do casual, quanto do cenário competitivo do jogo.

https://twitter.com/FreeFireBR/status/1334625963192143872?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1334625963192143872%7Ctwgr%5Eshare_1%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.uol.com.br%2Fstart%2Fcolunas%2Fggwp%2F2020%2F12%2F10%2Fcristiano-ronaldo-e-nova-quebra-de-barreira-para-um-imparavel-free-fire.htm

Com estilo em um universo futurístico, a novidade dentro do battle royale traz CR7, como uma adição importantíssima a um game que já tem a característica popular como uma de suas principais vantagens perante a concorrência. Cristiano certamente será o motivo de novos players testarem o Free Fire e se integrarem a um universo que, muitas vezes, não é desbravado justamente pela falta de estímulo ou de alcance no que diz respeito à tecnologia. A colaboração global entre Cristiano Ronaldo e o game da Garena está prevista para começar no dia 19 de dezembro, mas já vem rendendo uma enorme repercussão não só no meio dos esportes eletrônicos, mas na mídia em geral. Tratamos, aqui, de um dos jogadores de futebol mais midiáticos de todos os tempos. Um acerto gigantesco da Garena, que segue quebrando barreiras e provando que os games são capazes de atingir postos nunca antes imaginados. Confira o trailer:

A verdade é que, jogos como Free Fire não tem um tratamento sério pelo público tratando-os jogos de dispositivos móveis de forma minoritária. Uma visão extremamente limitada e minimalista do que realmente são os esportes eletrônicos. Os games devem ser uma quebra de barreiras, e não uma limitação para quem os busca. Que CR7 seja só mais um dos inúmeros exemplos de como os esportes eletrônicos são protagonistas, e não mais coadjuvantes, do nosso dia a dia enquanto consumidores de conteúdo.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar